Novidades

Poemas de Marcelo Sousa




Poemas, pelo autor convidado Marcelo de Sousa.




O Fogo Olímpico



Empenhados numa procura infinita
pelo centímetro certo da carne mais aflita
os amantes esquecem o ar que lhes falta
quando os lençóis num festim de ribalta
tramam um espetáculo de sons sustenidos
por arpejos feitos de etéreas sílabas tônicas
e quiméricas delícias agônicas.

Neste concerto de gemidos sinfônicos
ouvem-se sons como os de um violino agônico
compassado pelos movimentos subterrâneos de um magma
que pesseia por caminhos tortos - nossas veias -
irrompendo odores e sabores subcutâneos
que não cabem em poemas feitos em qualquer língua
pois o fogo daquele momento, se descrito em palavras
perde a força, e inevitavelmente se apaga
porque o que só o corpo entende
o intelecto quando apreende
deixa morrer à míngua!





Mal Secreto

Queria descer à fonte impura
como quem vai à pia batismal,
queria tua boca, tua língua à procura
da seiva escondida, do secreto animal!

Queria não ter que escolher
entre ser poeta ou estar ereto.
Queria que “homem” ou “mulher”
não limitassem as almas a um mal secreto.





Existir É Um Eterno "Por Enquanto"

Esse é o tempo de deixar escorrer entre os dedos
os segundos, os minutos, as horas, os medos
porque o tempo dentro de mim é muito precário
uma vez que conto ele sempre ao contrário!

O quanto me falta pra nascer de novo
se o melhor é adivinhar o que há dentro do ovo?
E se eu cair, quem estará lá para aparar o tombo?
Eu salto abismos sem paraquedas só para experimentar o assombro!

Ser assim não me revolta,
pois já me acostumei ás alturas e á queda.
Nem mesmo o amor faz-me tanta falta:
compra-se disso hoje por aí com apenas algumas moedas.

Mas se eu olhar debaixo das minhas saias
e descobrir que aquela metade não sou eu?
E se de repente me volta o tal Messias
cantando um samba pra me levar pro céu?

Será que eu vou querer partir desse mundo
podendo-querendo-sabendo, eu poeta,
roubar dele, com papel e caneta,
mais um segundo?

Viver um segundo, de repente
nos braços de quem nos quer bem
é melhor que passar uma eternidade como crente
sozinho, sentado em uma nuvem, dizendo amém!

Todos me julgam como tendo um juízo muito precário
mas eu prefiro ser assim mesmo, melhor que ser esperto ao contrário.
Não vou contar o tempo que me falta pra nascer de novo
porque pra mim esse corpo, essa existência, é só a casca do ovo!


*
Marcelo de Sousa
Twitter
Blog


Créditos da imagem:

Um comentário: