I Concurso Literário Benfazeja
em torno do que amamos: livros e literatura

Ela e o Velho

Conto, por Rosane Tesch



"Homens são para isso! Para dar segurança a uma mulher."

Naquele horário o metrô circulava lotado. Um homem de, aproximadamente, 70 anos sentou-se ao seu lado e quis logo puxar conversa. Ela estava mal-humorada, aliás, nunca acordava sorridente. Era preciso uma caneca de leite com café bem forte para que um esboço de sorriso brotasse naquele rosto.



Pensou:

- Esse velho vai encher o meu saco durante todo o trajeto, já estou até vendo.

Muito gasto pela vida e, talvez, pelo que fez com ela, o homem voltou-se para a mulher e Perguntou:

- Você é casada? Tem filhos?

Começou uma enxurrada de indagações que não permitiram respostas de pronto. Ela respirou profundamente e de maneira seca e polida foi respondendo uma a uma. Informou que não era casada e muito menos possuía herdeiros.

Qual não foi a surpresa e a reação daquele homem, que acreditava ser o casamento a única instituição capaz de resolver e condensar todos os problemas da humanidade.

Então disse:

Minha filha, tenho idade suficiente para te dizer que já vivi de tudo nesta vida. Uma moça jovem e bonita como você já deveria estar casada e com filhos. Tem pensamento feminista por acaso? Não pode casar e deve mostrar para a sociedade que vive muito bem sozinha, sem família? Tolices... Garanto a você que esse tipo de pensamento já caiu por terra há muito tempo. Toda mulher precisa de um homem perto dela.

Ela não queria polemizar, por isso deixava o velho monologar. Talvez porque estivesse pensando em suas colocações, ou, talvez, porque não achasse o assunto realmente interessante. Mas o velho não se dava por vencido, continuou a dizer frases de efeito para provocar aquela mulher que, aparentemente, não esboçava nenhuma reação.

Em certo momento o trem freou abruptamente. Ela foi projetava para frente e o homem segurou-a pelo braço e com uma voz firme, de maneira enfática, disse:

- Tá vendo! Por isso que moças bonitas e jovens precisam ter um homem ao seu lado. Se fosse o seu marido e não eu quem estivesse sentado aqui, certamente seu corpo não seria projetado dessa maneira. Homens são para isso! Para dar segurança a uma mulher.

Ela apenas voltou o rosto para aquele velho, pensando no que o tempo não fora capaz de ensinar-lhe e apenas sussurrou:

- Obrigada.

Ela desceu na estação seguinte em direção ao trabalho.

O trem partiu. Lotado.

*
Para ler mais textos da autora, clique aqui

Um comentário: