Novidades

Pelas cantigas da vida


  

Resenha, por Rommel Werneck.


Saudações, nobres damas e cavaleiros! Como damas, nós clamamos pelos grandes cruzados que partiram para o mundo desconhecido, seja ele o mundo da guerra ou o mundo dos mortos. Se na vida real clamamos pelo sonhado encontrado com a bela adormecida ou com o beijo do príncipe encantado, na literatura podemos (e devemos) idealizar o mundo de cavaleiros e donzelas.

Luciano Alencar, escritor de Brasília, conhecido também pelo pseudônimo Boi, é o autor de poesias que remetem ao período trovadoresco das grandes cantigas de amigo e de amor. Suas poesias não possuem leve inspiração, são releituras tão bem construídas que um leitor até poderia até classificar o texto como cantiga trovadoresca. O texto abaixo faz parte do I E-BOOK POESIA RETRÔ:



Cantiga de Amigo I

Ê de trovas que cantam os bardos
Ê de distância de meu amigo amado
             Acudi-me senhora da compadecida
Ê de trovas que cantam os monges
Ê de distância de meu amigo longe
             Acudi-me senhora da compadecida
Ê de distância de meu amigo cálido
Ê de saudades de seu antigo pálio
             Acudi-me senhora da compadecida
Ê de distância de meu amigo austero
Ê de saudades de seu antigo cheiro
             Acudi-me senhora da compadecida
Ê de saudades de seu antigo cavalo
Ê de sofrimento meu, ê de meu abalo
             Acudi-me senhora da compadecida
Ê de saudades de seu antigo portar
Ê de sofrimento meu, ê de meu lar
             Acudi-me senhora da compadecida


Já o texto abaixo apresenta uma releitura da cantiga trovadoresca sob a ótica grega, inovando, pois a visão comum que temos sobre Grécia é do politeísmo e da cultural erudita, porém a civilização helênica não foi apenas a civilização clássica e pagã, não se pode esquecer do medievalismo e da cultura popular no país que sedia uma Igreja Ortodoxa. A mescla com o estilo grego clássico se dá na figura do argonauta, um soldado assim como o cruzado.


Cantiga Grega

Ai Pai acudi-me pois
Meu amigo aos mares foi
Ventura que o é Argonauta
Ai Pai acudi-me agora
Meu amigo aos mares afora
Ventura que o é Argonauta
Meu amigo aos mares foi
Ó mia flauta conforto sois
Ventura que o é Argonauta
Meu amigo aos mares afora
Ó mia flauta conforto aporta
Ventura que o é Argonauta



A partir de tais textos, podemos compreender que o brilho do passado é privilégio de poucos, mas não daqueles que já o viveram, mas sim daqueles que podem relê-lo.
    

Links Revivalistas Medievais:


Escritor Luciano Alencar
o homenageado acima

 
Poesia Retrô 
Revivalismo Literário, há algumas releituras medievais.

Moda de SubCulturas

Blog sobre Moda Alternativa. O link acima já é a categoria Idade Média onde, além de releituras, podem ser estudada a História da Moda.



Picnic Vitoriano Poa/ Porto Alegre
Picnic Vitoriano Curitiba
Picnic Vitoriano São Paulo

Grupos de Reconstrucionismo Histórico que aceitam o dresscode medieval bem como releituras



Draikaner
Grupo de Boffering Medieval situado nas cidades de São Paulo e Osasco, ambas no estado de São Paulo.


Olam Ein Sof
Grupo musical medieval e celta.
Comunidade reconstrucionista medieval.

Iluminuras de Ribeiro Halves

Imagem:
As três riquíssimas horas do Duc de Berry

Nenhum comentário