Novidades

Poemas para a criança que vive em mim

Poemas para a criança que vive em mim” de Cristiane Grando.


c

para entender o título do poema é preciso ver o espetáculo “Melancia e coco verde”, do grupo Núcleo Girândola (Brasil)

a vida é repleta de segredos

por exemplo
ver o azul das lágrimas e imaginar o mar imenso

porque as lágrimas se transformam em sonhos azuis
e em cada bolha de sabão há uma felicidade
sutil e multicor

de cores que podem traduzir
códigos que criamos na infância


à minha avozinha

poema inspirado no espetáculo “Los cuentos del rebozo”, do grupo Aquelarre Teatro (México)

“… só quem renunciou a si mesmo e a controlar sua vida” despertará espontaneamente…
“La iluminación zen”. Rubén H. Ríos


vive longe a minha avozinha
e eu lhe escrevo
conto contos
de todas as partes

do meu país
encho minha memória de pássaros e fotos
para lhe mostrar em um contínuo estado de paz
a fluidez e a liberdade do mundo:
a clara consciência das folhas

ao escrever e ler contos para a minha avozinha
sou espontânea sem querer sê-lo

escrevo sem apegar-me a nada
para perder-me em minhas histórias
e jamais encontrar uma saída lógica

porque mais vale a imaginação
(iluminá-la no meio da noite)

e porque
tudo se transforma

*

Imagem:
Magê Blanques, Wilson Mandri, Perla Frenda por Marcelo Kahn.

Um comentário:

  1. Algo indescrítivel que se tornou possível pelo lindo poema...descrever a criança que cada um tráz dentro de si,eu escrevo poesias mas tenho receio de mostra-las por causa de erros de português.

    ResponderExcluir