Novidades

Homenagem a Salvador Dali - Poemas de Ianê Mello


NO RESVALAR DAS HORAS


Tempo que se desintegra
na memória não mais persiste
fragmentos de lembranças
enganando nosso dias
nessa sina de ser triste

relógios a se dissolver
em nossa mente fragmentada
velho tempo absoluto
de horas prontas
de horas estagnadas

Passa rente
passa reto
num lampejo
num piscar

e já se foi sem demora
deixando em nós
o desejo de viver
a vontade de ter mais

mas aquele momento vivido
já é passado num instante
e o futuro prometido
faz do tempo um viajante

e nós sorrimos sem jeito
e choramos de remorso
de nesse tempo não termos feito
metade do que queríamos
e num sentir imperfeito
nos perdemos em mais um dia.


*

Crédito de Imagem: Pintura de Salvador Dali

*

Tela: A Desintegração da Persistência da Memória



SERES ANTAGÔNICOS


Somos sussurros
que ao pé do ouvido se instala
Somos o próprio grito
quando o mundo não se cala

Sussurramos pelos cantos
mas gritamos desencantos
quando a dor nos aperta
e o sentir se avoluma

Somos o tudo que no nada se perde
somos o nada que no tudo está perdido
Somos a palavra que nas entrelinhas se cala
Somos em nós as entrelinhas que da vida se resguarda

Somos o verbo e o silêncio
somos os versos e a prosa
Somos o conto que encanta
Somos a história que lamenta

Somos sombra quando projetados
pelo sol na clara tela
Somos reflexo no espelho
somos a nossa própria imagem refletida

Somos alegria e lamento
somos esse agora, esse momento
somos o passado que nos devora
somos o amanhã que se revela

Somos tudo
nada sendo.


*

Crédito de Imagem: Pintura deSalvador Dali

*

Tela: Desmaterialização



Nenhum comentário