Novidades

Sonhemmus et Poetemmus III



Poemas de Júnior Bráz.

Aqui vai alguns poemas que escrevo utilizando "motes" e com a "pegada" da Poesia Popular Nordestina.

GUERRA X PAZ

Desse mundo o ódio tomou conta
Dos corações dos homens sem amor
Que plantam violência, guerra e terror
Espalhando a dor na primeira afronta
Manchando o céu com cor avermelhada
De batalhas sem propósitos e sangrentas
Para matar usam várias ferramentas
De rancor a alma já está armada
A marreta da guerra é tão pesada
Que a pedreira da paz não aguenta



Inocentes se vão como o vento
A morte chega sem convite
Estraçalha vidas igual dinamite
Sem chance de qualquer argumento
E Deus chora com as mãos lavadas
O homem que do poder se alimenta
De ambição sua aura é sedenta
Na sorte a humanidade está lançada
A marreta da guerra é tão pesada
Que a pedreira da paz não aguenta





SEIS DA TARDE


A vida do Brasileiro
É tamanha correria
Na batalha do dia a dia
Pra ganhar o seu dinheiro
Ganha pão do mês inteiro
Pra sustentar suas crias
Luta igual guerreiro
Pro céu faz uma prece
Baixa a face o pranto desce
Ao som da ave Maria


Calos nas mãos ardendo
Suor na testa desce
Cansado o corpo desfalece
Quando vai escurecendo
E a lua quando aparece
Dita o fim da correria
Em casa há alegria
Seis da tarde já acontece
Baixa a face o pranto desce
Ao som da ave Maria





HOMENAGEM A MESTRE SALUSTIANO


Mestre salu grande guerreiro
Da cultura e folclore Brasileiro
Com sua rabeca mágica
Alegrou o mundo inteiro
Partiu para o céu,foi embora
Deixando grande saudade
Beijar a mão de Nossa Senhora
Viver com as divindades
Deixou consciência cultural
Nos nossos corações, lembranças
NO TERREIRO DA PAZ, SALU DESCANSA
SILENCIA A RABECA GENIAL.


Caranguejúnior

*
Créditos da imagem: Olhares.com
Cordel, por Gilles Brunet

Nenhum comentário