Novidades

O SUBTEXTO





Poema de Marcelo Sousa.


Tua vulva.
Tua válvula.
Tuas vontades.
Teus negócios.
O ócio da carne.
A aventura, o cerne.
Umas curvas.
Outras cláusulas.
Leis, protestos. Protocolos.
O teu colo, nú. Uns bilhetinhos azuis.
A luz apagada. A pele. Os pelos.
Os novelos da alma à meia-luz.
A escrita bonita da língua entre as pernas.
Os rabiscos do desejo.
O poeta empunhando a pena.
Por cima da pele, as convenções.
O dito contexto.
Por baixo da pele é que se traça toda graça.
O mais doloroso, o mais gostoso, o subtexto.

*

2 comentários: