Novidades

Poemas de Cynara Novaes



Por Cynara Novaes.

Tecido

O tecido chamou-se cetim
O cetim, vestido
O vestido chamou-se
de festa, de domingo
Missas e festas depois,
a moça viu-se fazendo no tecido
um bordado,
mais tarde, um remendo
Chamou-se roupa de casa,
pano de fundo para o avental
Com o tempo,
chamou-se passado.




Pequena canção para dormir

Vou embalando a vida
sempre que ela acorda fora de hora.
Mas, ela não gosta de dormir
e me embala toda noite
para eu não descobrir.



Primor

A biblioteca cheirava a saber
e eu tinha fome e sede
Apresentei-me, sem reservas,
àquele mundo silencioso e doce
À minha primeira refeição,
denominei Banquete,
mas, ao continuar, chamei-a Primor.


*

Biografia
Cynara Novaes é pedagoga, nasceu em Nova Viçosa, Bahia, em 13/03/1969. Atualmente mora em Teixeira de Freitas – BA.

Gosta de definir-se como costureira de palavras, tecelã de frases arranjadas em versos, em poesias.

Livros:
• Interiores (1995)
• Azul (cd de poesias) (2001)
• Antologia Poética do Trabalhador da Indústria – SESI/FIEB (2009)
• Antologia de Poetas Brasileiros Contemporâneos (2009)
• Novos Valencianos (2010)

Em 2008 ficou em 2º lugar no concurso do SESI/FIEB do Estado da Bahia, em 2009 foi a vencedora do concurso do mesmo órgão. Ganhou, também, o concurso realizado pelo site A magia da Poesia e classificou-se no da Câmara Brasileira de Jovens Escritores tendo sua poesia publicada em um livro junto com outros poetas selecionados por esta entidade. Teve, ainda, um poema selecionado para o Projeto: Um poema em cada árvore/2012, na cidade de Governador Valadares – MG.

* Créditos da imagem: olhares.pt
MEU VESTIDO, por Gisele Von Der Heyde


Nenhum comentário