Novidades

recomeços




Poemas de alessandra cantero

I - da sobrevivência

algumas pessoas
disparam a esmo
seus ódios

com ou sem alvos

mas eu
que quase imóvel
ñ me esquivo

por mera vingança
ou capricho

sobrevivo




II - da resiliência

preciso
d palavras
novas

em caldas
quedas
quilométricas

palavra palco
p/ pisar
c/ risco

de fratura

uma
palavra remédio

p/ por fim
à minha
cura



III - recomeço



para fins de esquecimento
decorei cores
escuras

teus ânimos
tortos

tateei traços desformes
feições todas
tuas faces
diversas

desfiz-me assim
quase à toa

a cada pelo
percepto
na pele ereta
que ainda
me toca

para fins de recomeço
eu
quase oca
ñ te esqueço
de todo


Crédito da imagem: olhares.pt
palavras, por Tania

Um comentário: