Novidades

Poemas de Caio Cardoso Tardelli




SE É SONHO TODO O AMOR


Se é Sonho todo o amor
Em desalento feito,
Ruja de minh'alma o fulgor
Suplicante no peito.

Que seja sem agonia
O tombar da paixão no Sono
Ao surgir da ardentia
De um pranto de Outono...

Se é Sonho de minha vida
Errar nas deságuas:
Sejas um eco na ermida,
A boca para as águas.

28/07/2011

----

SOLIDÃO

Chorem os sonhos o pranto infindo:
Não surgirá do meu peito um afago.
As ilusões com que tanto me alago
Murchem às procelas do coração findo.

Tombe o vão monumento provindo
Das loucas esperanças com que me chago;
E que se feche, então, o longo e vago
Caminho por onde dores vão rangindo.

Nuble tudo a que meu ser fulgenteou:
Altivo pedaço d'alma que não chorou,
Declive eternal aos esparsos contentos...

Que detenham-se as infantes Auroras!
Quero cismar tristemente as tantas horas
Ao bramir solitário dos morosos ventos!...

04/10/2012

---

SOBERANIA

Na rude estrada em que me perdia,
Tingia o sol meu rumo inconstante...
A esperança era um vento arfante
Já sem manifesta feição ou melodia.

O meu peito exausto não mais pedia
A água para a sede apavorante:
Um manso descanso é o bastante
Quando a ilusão já não alumia.

A tristeza circundava os momentos:
O céu era o meu abrigo aos relentos,
As estrelas minhas amantes cristalinas.

E quando n'horizonte (ó êxtases belos!)
Floriu a visão de derrotados castelos,
Vi-me soberano entre íntimas ruínas...


Caio Cardoso Tardelli,
paulistano, nasceu em 1990. Estreou com a "Poética das Quimeras" (2012), do selo Futurarte (Editora Multifoco); figurou em antologias das editoras Andross ("Ecos da Alma", 2010) e da Regência ("Âmago", 2011), e participou de concursos literários, como o XXII Moutonnée de Poesia (3ª Posição - 2012).
Blog | @Facebook | @tardellis

*

Créditos da imagem: Olhares.com
O Futuro no Horizonte, por Mar de Sonhos

2 comentários:

  1. bom ler verdadeiros poemas,principalmente "soberania",onde a ordem do soneto é acompanhado de um bom lirismo. Você deveria tentar o verso livre,para que buscar a liberdade das palavras

    ResponderExcluir