Novidades

Poemas



Poemas de João Carlos Brito Araújo


Náufrago

Somente os sonhos são reais
A realidade perdeu a cor
Depois que a beira do cais
Naufragou mais um amor

Sigo numa esfera celeste
E no peito de quem partia
Tenho o sal que tu me deste
Num oceano de euforias

De onde minha alma naufragada
Juntou os escombros da jangada
Que foi o barco dos nossos dias

Sigo o fluxo deste rio a sonhar
Lavo os meus sonhos de ti
Deixo as minhas mágoas no mar




Escuridão

Nessas noites
Inertes e tortuosas
Em que o teu amor
Não me basta

Abraço-te e a dor
Insistente, silenciosa
Apaga a singela flor
Dessa coisa tão vasta

E deixo a escuridão
Chegar devagarzinho
Aquietando o sentir
Colorido de dissabor

Para que o cinza
Se tinja de dia
E me traga a alegria
De bastar-me o teu amor



A sombra

Cada ser possui uma sombra
Que a si caminha atada
Como galhos de um corpo
De uma alma ramificada.

E nos passos que a sombra pisa
Tinge com sua cor a fantasia
No coração de quem é fraco
A sombra se delicia




João Carlos Brito Araújo
Autor teatral, poeta e ator. Membro da SBAT (Sociedade Brasileira de Autores Tetrais). Participação em duas Antologias poéticas pela editora Novas Letras.


facebook


Créditos da imagem: Olhares.com
saber a mar, por Sónia Guerreiro

Nenhum comentário