Novidades

Sangue e algodão





O pedido:


Sempre tive curiosidade:
Queria saber em quanto tempo o sangue encharca a camisa depois de uma facada.
Pena que não poderei escrever sobre isso.
Promete?
Promete que irás escrever?
Promete que irás reparar no tempo?
Na velocidade?
Observa o líquido ser absorvido pelo algodão da camisa.
Eu sei que é devagar. Assim como as coisas na vida — das mais simples às mais elaboradas, do crescimento de uma planta, ao surgimento de um grande amor — a absorção é gradativa.
Observa o vermelho do sangue misturar-se ao vermelho do tecido?
Observa os tons?
Promete?
Promete que irás fazer pelo menos isso por mim? É só o que eu te peço.
Vamos, promete! Diz logo assim: “Eu prometo” com a voz grossa, vai?
Agora que você decidiu acabar com tudo — pelo menos para mim — e me deu essa estocada.
Agora que estamos aqui,
eu ca
    í
   da
você em pé,
ambos a assistir minha vida
e
  s
    c
      o
        r
          r
            e
              r
absorver-se
colorir meu abdômen e o chão.
Promete?

sssssssssuuuuuusssssssspiro…
——————————————————————————

Sobre a promessa que fiz:

Não sei como ela pôde,
mas confiou em alguém que acabara de surpreendê-la.
Eu a golpeei.
Mas prometi.
Prometi e cumpri.
Agora estamos aqui: meu caderno, minha caneta e eu.
No metrô — tentarei me concentrar enquanto
vamos juntos encontrar outra.
Outra história,
outras promessas.
Mas no final eu faço o que prometi a ela. Porque eu disse, com a voz bem grossa, voz que nem era minha: “Eu prometo”.

Sobre minha confissão:

À minha direita, em pé: três fardas, seis botinas, três boinas.
Sem sorriso, elas me encaram.
Já lhe disse que carregam arma? — Uma só para três.
Tenho medo e preciso confessar: Sou homem e tenho medo, preciso confessar: Sou homem e tenho medo preciso confessar: Sou homem…
Desceram na estação.

Sobre o tempo:

Já lhe contei quanto tempo entre a última palavra e o último suspiro? Ou seja, entre “Promete?” e “sssssssssuuuuuusssssssspiro…
——————————————————————————
foram 154.
Cento e cinquenta e quatro.
Não sei o que quer dizer isso. Simplesmente contei.
Quanto a absorção do algodão posso dizer
Velocidade: rápida.
Tempo para encharcar: 154+

Sobre as cores:

Vermelho com vermelho é vermelho escuro.
Escarlate?
Quase preto.
Mas não é preto.

Sobre a saudade no vazio:

Agora, o trem está vazio e isso me faz pensar nela.
Subiu-me um calafrio.
Calei-me.
Calor.
Frio.

Sobre o fim:

Ah! Contei-lhe que vamos juntos encontrar outra?
Outra história,
outras promessas?
Pois é.
Trago minha faca.
Nunca se sabe, né?

Sobre o que é apenas começo:

Agora somos: meu caderno, minha caneta, eu
e você.
(Seja bem-vind
/o!

/a!)

Nenhum comentário